Alternate title: 

Inovar nunca foi tão difícil

|

* Por Dagoberto Salles Neto para a revista Live Magazine, da Cisco.

A evolução não espera. Se as empresas não investirem em transformação digital e não acompanharem a constante mudança de seus mercados, elas correm o risco de ficarem obsoletas. Consumidores e profissionais digitais estão mudando o jogo, uma vez que seus comportamentos, expectativas e valores estão alinhados com novas tecnologias e conceitos.

Uma pesquisa feita pela Capgemini em parceria com o Massachusetts Institute of Technology (MIT) mostrou que as empresas digitalmente maduras, conhecidas como “Mestres Digitais”, têm rentabilidade 26% maior e apresentam 9% a mais de eficiência na geração de receita. Então esta é a hora – as organizações que investirem em iniciativas baseadas em tecnologia e inovação terão um importante diferencial competitivo no seu setor de atuação, destacando-se da concorrência.

Cerca de 52% das empresas que fazem parte da Fortune 500 se fundiram, foram adquiridas ou faliram desde 2001. Este cenário mostra o quão delicado e necessário é acompanhar a revolução digital. Hoje em dia, empresas de alto valor nem sempre resultam em mercados inteiramente novos – são, em sua maioria, companhias que ganham competitividade rapidamente com a combinação de tecnologias inovadoras e experiência positiva para o consumidor.

De olho nesta corrida, um grande número de organizações tem optado por explorar diferentes rumos e buscar novas inspirações – seja para desenvolver novos produtos e serviços, com o objetivo de atender os consumidores ávidos por novidades e conectividade na era da Internet das Coisas (IoT), como para desenhar novos modelos de negócios, adaptando sua atuação à era da transformação digital.

Qual a trajetória a ser seguida para alcançar a maturidade digital dentro da sua corporação? O primeiro passo é traçar os desafios digitais – para isso é primordial envolver os líderes no debate sobre as implicações da tecnologia para os seus negócios, bem como conhecer o seu ponto de partida, mapeando quão digital é a sua empresa hoje. Após esta fase, deve-se direcionar o investimento por meio de um roteiro transformacional baseado em resultados de negócios que espera serem alcançados – lembrando que a tecnologia é apenas uma parte da jornada para a transformação digital e, muitas vezes, a menos desafiadora.  

Depois do planejamento, inicia-se a fase de execução: mobilizar a organização para que todos marchem juntos, sinalizando suas ambições e explicando claramente os benefícios que serão trazidos para todos. A adaptação de todos dentro da corporação é muito importante nesta fase. Por isso, utilize todos os canais de comunicação disponíveis. É preciso ter em mente que serão necessários alguns ajustes, como engajamento, definição de novos comportamentos e evolução cultural corporativa.

Por último, após todo o planejamento e implementação, é preciso sustentar as ações, mensurando e colocando em prática os devidos ajustes, para que as áreas tenham uma visão do real impacto da transformação para os resultados.

A inovação nunca foi tão importante – e nem tão complexa. E a sua empresa está preparada para essa jornada?

* Dagoberto Salles Neto é diretor de vendas da Capgemini no Brasil

Veja mais informações do livro Liderando na era digital.