Capgemini é escolhida pela empresa de energia E.ON para fornecer serviços de gestão automática de medidores

| Press release
Contrato firmado na Suécia ressalta a expertise do Grupo Capgemini no setor público em todo o mundo
A Capgemini, um dos principais provedores globais de serviços de consultoria, tecnologia e terceirização, foi escolhida na Suécia pela empresa de energia E.ON, para fornecer um conjunto de serviços para gestão de medidores inteligentes de eletricidade e gás para a rede de geração e distribuição de energia. O contrato firmado pela Capgemini Sverige AB e pela E.ON Elnät AB, terá vigência até 2018.
 
Devido às exigências da legislação sueca[1], que entraram em vigor no final de 1990, a E.ON conduziu diversos projetos de instalação para garantir a prestação de seus serviços de medição inteligente aos clientes. As exigências da UE[2], juntamente com as demandas da legislação nórdica (por exemplo, de um mercado nórdico comum de varejo[3]), mudam o papel das empresas que mantêm redes de distribuição, inclusive a E.ON. Com base nessas mudanças, a Capgemini desenvolveu uma solução para que a companhia energética possa consolidar seus serviços atuais de medição inteligente de maneira eficiente e com qualidade garantida.
 
Esse contrato inclui a gestão de pouco menos da metade da carteira de medidores inteligentes da organização na Suécia e engloba uma série de serviços, inclusive leitura regular e programada de medidores, serviços de campo, service desk, relatórios gerenciais, hospedagem de centros de dados e gestão de aplicativos. A Capgemini também ficará responsável pela gestão de empresas subcontratadas, inclusive as de telecomunicações, fornecedoras de software, fabricantes de medidores e prestadores de serviços de campo.
 
A solução da Capgemini é flexível e escalonável, para que a E.ON instale medidores modernos, que possibilitem novas funções inteligentes. É também uma solução aberta, que simplifica o processo de compras futuras para a rede da empresa de energia.
 
“Estamos contentes por fortalecer e expandir nossa parceria com a E.ON e por ter reafirmado sua confiança na Capgemini. Esse contrato representa uma série de resultados positivos no setor de serviços públicos, demonstrando nosso sucesso contínuo e o bom momento do mercado mundial de energia inteligente", comenta o diretor da divisão de Serviços de Energia Inteligente da Capgemini na Europa, Peter Harris.
 
“A Capgemini já comprovou sua capacidade de fornecer serviços de tecnologia da informação para uma gestão da energia de alta qualidade e, por isso, escolhemos a companhia. A parceria permitirá que desenvolvamos as mais modernas tecnologias de medidores inteligentes", afirma, o CEO da E.ON Elnät Sverige AB, Per-Olof Lindström.
 
O Grupo Capgemini fornece um portfólio completo de soluções de medição, redes, residência e análise inteligentes, fazendo uso das melhores práticas desenvolvidas com sucesso nos últimos dez anos. A companhia trabalha com as principais fornecedoras de serviços públicos do mundo. A divisão de Serviços Públicos da empresa tem alcance global na América do Norte, América do Sul, Europa e região Ásia-Pacífico, com 8.900 consultores dedicados a essa área. Esse setor responde por cerca de 729 milhões de euros (7%) do faturamento total do Grupo (2012).
 


[1] Lei de Eletricidade da Suécia: o principal objetivo da reforma do mercado de energia elétrica é, por um lado, obter uma separação clara entre a produção e a venda de eletricidade e, por outro lado, a transmissão e a distribuição (operações em rede).  
 
[2] UE 2020: o pacote climático e energético é um conjunto de legislação vinculativa que visa assegurar que a União Europeia cumpra seus objetivos climáticos e energéticos para 2020. Essas metas, conhecidas como "20-20-20", estabeleceram três metas principais para 2020: uma redução de 20% das emissões de gases de efeito estufa aos níveis de 1990, aumento da quota de consumo energético da UE produzida a partir de fontes renováveis ​​para 20% e melhoria de 20% na eficiência energética da UE.
 
[3] Começando em 2015, os mercados de eletricidade nórdicos serão unidos para formar uma "super-rede nórdica". Para os consumidores, haverá um mercado comum do usuário final nórdico.