Comissão europeia assina contrato com consórcio liderado pela Capgemini

| Press release
Projeto de três anos prevê a implantação de portal de dados abertos, com informações públicas de 39 países europeus.
A Capgemini, um dos principais provedores globais de serviços de consultoria, tecnologia e terceirização, anuncia a assinatura de contrato de três anos[1] com a Comissão Europeia, no valor de milhões de euros, para a implantação de uma plataforma de dados abertos. A meta é desenvolver, lançar e operar um único portal pan-europeu, que reunirá informações públicas de 39 países. Os dados serão disponibilizados para todos os residentes da Europa que tenham acesso à internet.

A Capgemini Consulting, empresa de consultoria em estratégia e transformação do Grupo Capgemini, liderará este projeto, coordenando o número de parceiros e empresas subcontratadas, inclusive subsidiárias do Grupo Capgemini – Sogeti, Intrasoft International, Open Data Institute, Fraunhofer FOKUS, con terra, University of Southampton e time.lex.

O consórcio ajudará a administração pública de cada um dos 39 países a implementar políticas sobre dados abertos, para garantir sua aceitação e fornecimento, além de comprovar o impacto econômico decorrente do seu reaproveitamento, conforme detalhado no recente G8 Open Data Charter. Isto inclui promover o conhecimento sobre os requisitos organizacionais e técnicos, necessários para fomentar a publicação dos dados públicos, ministrando treinamentos, desenvolvendo estratégias de interação com grupos de usuários e promovendo condições de licenciamento amigáveis que possam ser reaproveitadas. Empresas do setor privado também participarão do projeto, a fim de possibilitar a criação de novos produtos e serviços, na medida em que os cidadãos se preparam para fazer escolhas mais fundamentadas. O projeto cobrirá toda a cadeia de valor dos dados, desde a evolução dos gastos com auxílio internacional por país até informações detalhadas sobre projetos de pesquisa financiados pela União Europeia, registros de emissão e transferência de poluentes de instalações industriais.

Além do desenvolvimento e lançamento do portal de dados abertos europeu, o contrato inclui serviços que permitirão a visualização dos dados públicos coletados pelas administrações públicas dos Estados-Membro da União Europeia e outros países que fazem parte do Espaço Econômico Europeu (EEE)[2] em portais de dados abertos. Tais serviços incluirão a elaboração de relatórios de análise, estudo sobre o impacto econômico provocado pela publicação dos dados públicos e relatório sobre a sustentabilidade da infraestrutura do portal.

“Um volume cada vez maior de informações é publicado todos os dias, a cada hora, minuto e segundo, em todas as regiões – grandes e pequenas. Com o crescimento da digitalização da sociedade, a quantidade de dados em todo o mundo deve aumentar de forma exponencial. Para a União Europeia, surgem duas perguntas: como ela pode garantir a acessibilidade e o reaproveitamento dos materiais coletados pelas administrações públicas? E quão valiosos eles são? Este projeto estratégico é o coração de todas as atividades voltadas a dados abertos e big data no setor público na Europa. Também servirá como plataforma para envolvimento de empresas privadas, de todos os tamanhos, que atuam na área de dados abertos e análise preditiva de dados”, diz o vice-presidente e líder da Capgemini Consulting para a União Europeia, Dinand Tinholt.

Como provedora líder de TI e serviços de dados, a Capgemini reúne conhecimento e experiência no fornecimento de projetos de big data. Informações acessíveis, que possam ser geradas pela análise gerenciada de dados, são as principais prioridades da Capgemini.


[1] O contrato foi fechado pela Capgemini Holanda.
[2] O Espaço Econômico Europeu (EEE) reúne os Estados-Membros e três Estados da Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA) - Islândia, Liechtenstein e Noruega – em um mercado interno regido pelas mesmas normas básicas. O objeto de tais regras é permitir a livre circulação de mercadorias, serviços, capital e pessoas pelo EEE, em um ambiente aberto e competitivo, um conceito denominado de “quatro liberdades” (four freedoms).