Orquestração dispõe de modelos orientados a gestão de ambientes com múltiplos fornecedores

| News alert
Por Dagoberto Salles Neto*

Simplesmente proibir usuários de tecnologia de buscarem novas soluções nem sempre é a maneira mais efetiva de garantir a segurança e a proteção dos dados de uma empresa. Há a possibilidade de organizar a contratação de múltiplos fornecedores, em um grande catálogo de serviços, regido por um contrato de níveis de serviços e preços competitivos, o que é vantajoso para qualquer empresa.
Essa prática, chamada de “Orquestração”, visa a ajudar a implementação de TI como um serviço com múltiplos fornecedores organizados sob um catálogo de serviços, regidos por regras de segurança, Service Level Agreement (SLA) e preços competitivos.
Naturalmente esse modelo deverá prever, além do catálogo em formato eletrônico, uma estrutura de fluxo de trabalho para gerenciar as aprovações internas de liberação dos serviços e integração com a estrutura contábil. Isso possibilita que a empresa integre os centros de custos e a área de procurement da companhia.
Para esse modelo ser eficiente, é necessário um grau elevado de automação porque estamos buscando uma maior velocidade em disponibilizar soluções para os usuários. Do contrário, o usuário obtém mais soluções para os seus problemas fora da empresa do que dentro, comprometendo segurança e eficiência em custos.
Em contrapartida, os fornecedores desse novo modelo vão precisar buscar uma estrutura nova para vender, operar e, principalmente, financiar essas soluções de pagamento sob demanda. Mas, certamente, nos próximos anos, veremos fornecedores adaptados a esses modelos que conquistarão o mercado.
 
* Dagoberto Salles Neto é diretor de Soluções de Infraestrutura da multinacional de tecnologia Capgemini.